ÚLT POSTS

PUBLICIDADE


Organizando a galeria do meu celular me deparei com essa foto que eu tirei em 2018, não lembro a localização para ser exata, mas foi em algum lugar em Minneapolis. Essa foto me fez lembrar que eu cresci achando que ter uma casa grande era coisa de quem venceu na vida, mas vencer na vida depende muito do ponto de vista de cada um. Pra mim, vencer na vida é totalmente diferente do que é vencer na vida para minha vizinha.


Eu recentemente me mudei para um apartamento de 2 quartos que é bem maior do que o apartamento que eu morava antes, e achei que esse seria o tamanho ideal pra mim e de fato é. Ás vezes acho que é até meio grande. Aqui nos Estados Unidos é muito comum as casas serem bem grandes, cheias de quartos e outras areas enormes. Antigamente eu via essas casas na TV e sonhava com uma casa bem grande daquele tamanho, mas conforme fui encontrando o que de fato faz sentido pra mim e fui identificando os meus sonhos e não os sonhos dos outros, eu vi que meus planos de vida são bem diferentes de ter uma casa grande que eu nem teria tempo pra limpar.


Hoje em dia eu penso que quando eu tiver o meu imóvel próprio esse tamanho que vivo agora será o ideal, não preciso de 2 andares e não preciso de um basement. Acho meu lar mega confortável, cheio de amor e com muita energia positiva para dar inicio a mais sonhos.

E o que eu quero dizer quando eu digo que tamanho não é documento? Vejo inúmeras pessoas desmerecendo espaços pequenos, mais funcionais. Eu sempre me pergunto para que eu teria um espaço bem grande se nem filhos eu quero ter?
Eu percebi que vivendo uma vida mais simples, cozinhando todos os dias, alimentos orgânicos, andando descalça na natureza, consumindo menos produtos industrializados, eu sou mais feliz!
Agora a minha vida ideal mesmo seria no interior de algum país como a Noruega, Suécia, Escócia ou Inglaterra, em uma cottage bem confortável cheia de amor.


Um beijo!

COMPARTILHE

Comente pelo Facebook!

2 Comentários

  1. Amiga, esse assunto tem tanto pano pra manga que se eu for falar tudo que eu penso, não vou parar nunca mais. Mas vamos ao básico: a sociedade do consumo, ou seja, a sociedade capitalista vende a ideia que quanto mais coisas você tem, mais feliz você é. O que, sabemos, é uma falácia. Por isso tanta gente cresce com a ideia de que os ricos são mais felizes e com a vontade de ter milhões de coisas, muitas vezes passando por cima de outras pessoas para conseguir isso. Obviamente que a gente não pode ignorar o fato de que realmente o dinheiro traz facilidades e, com isso, algumas felicidades, porque é muito mais feliz alguém que sabe que vai ter dinheiro pra comprar coisas básicas, como alimentação, luz, gás, moradia, do que alguém que não tem. Porque, infelizmente, no Brasil pelo menos, essas coisas básicas não asseguradas a todo mundo. Mas por causa disso, e porque aqui a maioria da população não tem nem ao menos coisas básicas, cresce-se com esse pensamento: quanto mais eu tenho, mais feliz eu sou. Os meus de comunicação estimulam esse consumo desenfreado também, e, infelizmente, até algumas obras culturais estimulam. É visto como vencedor quem tem uma casa grande, quem tem muitas posses, quem viaja pelo mundo todo o tempo todo, não pela experiência e cultura que acumula, mas pelas coisas que pode comprar durante essas viagens. O capitalismo estimula isso. Então é normal que as pessoas cresçam querendo ter casas enormes, ter muitos objetos (que, muitas vezes, nem significam nada pra elas), ter tudo grande, muitas vezes pela escassez com que teve que viver ao longo da vida. E elas torcem o nariz pra quem pensa o contrário. Eu nunca fui rica, minha família nunca pode fazer muitas coisas que eu via amigos meus fazendo com frequência (viajando muito, por exemplo), mas, devido ao intenso trabalho dos meus pais, nunca me faltou nada. Talvez por isso eu tenha conseguido viver uma vida sem querer muita coisa material, inclusive ter uma casa grande. Nunca quis. Olhava aquele MTV Cribs e só pensava "pra quem casas tão imensas?" (mas sempre quis uma piscininha em casa hahahaha). Depois que fui morar sozinha então, vixi, aí que eu quis mesmo morar num apê menor, pq dá taaaanto trabalho pra limpar! Hoje moro no maior apartamento já morei sozinha e é o que gosto menos, onde sou menos feliz. Preferia mil vezes estar num apartamento menor, mas que tinha muito mais a minha cara. Isso tudo pra falar que você tá certíssima de parar de ouvir o mundo externo e se concentrar no que é melhor pra VOCÊ. Quando a gente conseguir parar de se preocupar com o que dizem que é melhor pra gente e com o que os outros pensam, a gente vai viver com muito mais felicidade e leveza. (desculpa o textão, falei que ia escrever pouco e acabei escrevendo um TCC. hahahahahaaha) Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário necessário e perfeito haha não tem problema o tamanho.
      Me identifiquei no "da um trabalho pra limpar" hahaha
      Pois é, a gente cresce, amadurece e começa a ver as coisas por outro ângulo!!
      Um beijo!

      Excluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *